Lordose, cifose e escoliose: os desvios na coluna e a relação com exercícios

Banner de dentro dos postsOrtopedista explica as causas e os tratamentos dos principais problemas na coluna,
os tipos de deformidades e avalia se é possível continuar com as atividades físicas

As deformidades da coluna vertebral raramente ocorrem num único plano e são geralmente em três dimensões. Muitas vezes, são definidas como uma deformidade de torção tridimensional da coluna vertebral e do tronco e podem ocorrer isoladas ou associadas.Os tipos mais comuns são: cifose, escoliose e lordose.

Cifose é a excessiva curvatura da coluna vertebral no (A-P) plano sagital. A parte de trás normal tem de 20° a 45° graus de curvatura na parte superior das costas, e qualquer ângulo acima de 45° é chamado cifose. A escoliose é a curvatura anormal da coluna vertebral no plano coronal (lateral). A escoliose de entre 10° e 20° é chamada leve. Menos do que 10° é variação postural. Lordose ou a hiperlordose é o encurvamento excessivo da parte inferior da coluna, e é muitas vezes associada à escoliose ou cifose. Ele pode ser euatleta_arte_info_lordosegerada por má postura.

Epidemiologia

Esses desvios na coluna correm na infância em cerca de 60% dos meninos. Nos adolescentes, as meninas representam 90%. Chamamos de escoliose do adolescente, também denominado escoliose idiopática do adolescente (EIA), ocorre em cerca de 2-3% da população em geral.

A escoliose para a direita é muito mais comum do que à esquerda, exceto no tipo infantil, onde uma curva do lado esquerdo é mais comum. A escoliose torácica direita tem o convexa coluna torácica para a direita. EIA ocorre entre os 10 anos de idade e a maturidade sexual. Pode começar no início da puberdade ou tornar-se evidente durante o pico de crescimento do adolescente.

Mulheres estão em maior risco, muitas vezes necessitando de tratamento cirúrgico, se o tratamento não-cirúrgico não consegue parar curvatura. Escoliose adulta ocorre após a maturidade sexual.

Fatores de risco

A curvatura anormal da coluna vertebral pode resultar de doença da coluna vertebral, incluindo trauma ou desequilíbrio do sistema neuromuscular. Pode ser congênita. Pode ser produzido por pernas de comprimentos diferentes. Em adultos, a cifose está muitas vezes relacionada com osteoporose, mas em crianças pode ser devido a uma lesão, um tumor sobre a coluna vertebral, ou uma desordem genética, tais como a síndrome ou espinha bífida euatleta_arte_info_escoliosede Hunter. Cerca de 80% das escolioses são idiopáticas (sem causa definida).

Os sintomas

A doença leve é geralmente indolor, mas, como deformidade cresce, a dor normalmente pode aparecer. A escoliose em crianças ou adolescentes é muitas vezes detectada em exames de rotina. Os pacientes com EIA mais frequentemente apresentam ombros desnivelados, cintura sem assimetria (um quadril saindo mais do que o outro), ou uma proeminência na costela.

Pernas podem ser mais curtas após um trauma grave com fraturas ou se há desequilíbrio neuromuscular antes da idade adulta, como com a poliomielite, mas o encurtamento de 1 cm ou 2 cm, muitas vezes ocorre sem causa aparente.

Tratamento

Tratar dos desvios da coluna depende do tipo de doença, a severidade, o prognóstico e a tolerância do paciente para várias intervenções. Diagnóstico e intervenção precoce são benéficas. Administração pode ser dividida em: observação, órtese, operação.

A Sociedade Científica Internacional sobre a escoliose ortopédica e Tratamento de Reabilitação (SOSORT) produziu suas primeiras orientações em 2005. Eles foram recentemente revistos e sua qualidade científica foi aumentado. O seu objetivo é oferecer a todos os profissionais e seus pacientes evidências baseado na revisão atualizada da evidência real no tratamento conservador da escoliose idiopática.

euatleta_arte_info_cifoseOs objetivos do tratamento são: parar a progressão da curva na puberdade (ou possivelmente até mesmo reduzi-la), prevenir ou tratar a disfunção respiratória, prevenir ou tratar síndromes de dor na coluna vertebral, melhorar a estética através da correção postural.

As diretrizes oferecem um padrão real de tratamento conservador, incluindo órteses, exercícios, atividades desportivas e de avaliação. O principal objetivo da órtese para escoliose é deter a progressão da curva. Um estudo prospectivo de corte recente mostrou que órtese em pacientes com EIA é eficaz na redução da progressão e prevenir a cirurgia. Além disso, numa combinação de órtese com exercícios foi mostrada para aumentar a eficácia do tratamento.

As famílias devem ser informadas de que há um risco de que a órtese pode não ser bem-sucedida, mas que as chances de sucesso são melhoradas com a disciplina e a adesão ao uso da cinta durante o tempo recomendado, que pode ser de até 23 horas por dia. Pode ser removida para lavar roupa e natação.

Cirurgia

Cerca de um em cada seis pacientes necessitam de cirurgia. Ela é geralmente indicada para o tratamento de uma deformidade clínica significativa ou para corrigir uma deformidade escoliótica que é susceptível de evoluir.

A cirurgia é recomendada em adolescentes com uma curva que tem um ângulo de Cobb superior a 45° a 50°. Os objetivos da cirurgia são, geralmente, para deter a progressão da curva de alcançar uma fusão sólida, para corrigir a deformidade e para melhorar a aparência estética.

Exercícios e desvios posturais

Estudos mostram que a autocorreção ativa e exercícios orientados a tratar os desvios são superiores aos exercícios tradicionais na redução de deformidades da coluna vertebral e melhorar a saúde relacionados com qualidade de vida em pacientes com EIA.
Tive uma consulta essa semana que o atleta maratonista tinha uma escoliose leve e a orientação foi: continue fazendo sua atividade mas fortaleça a coluna!

Bons treinos!

ANA PAULA SIMÕES

euatleta-anapaulasimoes-ortopedia-especialista

Mestre em ortopedia e traumatologia pela Santa Casa de São Paulo. Especialista e delegada regional do Comitê de Traumatologia esportiva, médica assistente do grupo de traumatologia da Santa Casa de São Paulo e da Sociedade Brasileira de Futebol Feminino e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Esportiva. www.anapaulasimoes.com.br

Transcrito:http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2016/04/lordose-cifose-e-escoliose-os-desvios-na-coluna-e-relacao-com-exercicios.html

Banner de dentro dos posts 2

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: