Dieta crossfit: alimentação necessária para quem deseja obter bons resultados nos treinos

Carnes magras, semente de linhaça e batata-doce são alguns dos alimentos priorizados na die

O crossfit vem ganhando cada vez mais espaço nas academias de todo o país. Mesclando exercícios de alta intensidade com atividades intercaladas que combinam força e condicionamento, a modalidade normalmente envolve levantamento de peso, ginástica olímpica, condicionamento metabólico ou cardiovascular, e ainda possui uma dieta específica: a dieta crossfit. A prática requer mudanças de hábitos necessárias, principalmente no que diz respeito à alimentação, para que o consumo de energia seja proporcional ao quanto se gasta, e para que as tão desejadas mudanças no corpo possam acontecer com mais facilidade.

Não gaste mais (energia) do que pode

Para se ter uma ideia, estima-se que o gasto de energia no crossfit seja de 500 calorias em um treino de uma hora. Para que o objetivo desejado seja atingido, é necessário adotar uma dieta proporcional ao ritmo de exercícios. Segundo o nutricionista Willian Ribeiro, os atletas precisam de uma alimentação adequada e completa, capaz de fortalecer o corpo, evitar lesões e promover uma recuperação rápida e eficaz. Por isso, a dieta crossfit consiste em um plano alimentar que melhora a resistência e favorece os músculos. “Por ser um esporte que exige alta performance, a prática tem um gasto calórico elevado e isso faz com que a pessoa necessite de uma dieta adaptada, justamente para prevenir a perda de massa magra e potencializar a queima de gorduras”, explica.

E essas mudanças não servem apenas para o crossfit. Conforme explica Willian, qualquer exercício de grande intensidade exige um cardápio que atenda às demandas de gasto energético do corpo, para que complicações como tonturas e a hipoglicemia sejam evitadas. “O praticante precisa estar adequadamente nutrido para aguentar a intensidade das séries. Para isso é recomendável um consumo maior de vitaminas e minerais, principalmente os antioxidantes e anti-inflamatórios, pois essas substâncias combatem os radicais livres que são produzidos em maior quantidade durante o exercício, e ainda ajudam a reduzir o risco de lesões articulares e a dor muscular que pode ocorrer após o treino”, orienta o nutricionista.

Fazendo o prato

Para acompanhar a rotina intensa, a dieta crossfit deve conter todos os grupos alimentares. Logo, é importante incluir no cardápio grande variedade de proteínas de carnes magras ou de origem vegetal e gorduras de fontes saudáveis – como o óleo de coco, a semente de linhaça, chia e oleaginosas como amêndoas, castanhas e nozes. Além disso, não podem faltar carboidratos provenientes de alimentos como a batata-doce, o inhame, o brócolis, a berinjela e a maçã – que possuem baixo e médio índice glicêmico -, vitaminas e minerais.

Devido à intensidade dos exercícios, a modalidade pode gerar uma acidose metabólica. Para que essa seja evitada, recomenda-se que a dieta crossfit também seja rica em alimentos alcalinos, que podem ser consumidos antes da prática ou entre as sessões de exercícios. “Além de ajudar na cura e prevenção de diversas patologias, esses alimentos alcalinos ainda diminuem a acidez do sangue e mantém o equilíbrio do organismo. Podemos destacar entre eles o limão, a ameixa, o abacaxi e a tangerina”. completa Willian

Por: João Paulo Fernandes

Texto: Redação Alto Astral

Fonte: Willian Ribeiro, nutricionista e consultor na Nature

Transcrito: https://www.altoastral.com.br/dieta-crossfit-alimentacao-necessaria/

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: